Mapeando seu ciclo menstrual

Mandala da lua, diagrama lunar, mandala menstrual, moondala… Felizmente a prática, essencial para nos reconectarmos com nossos ciclos, está popular. Mas ainda tem muitas mulheres com dúvidas sobre como utilizar essa ferramenta para se conhecer e se empoderar do seu corpo. Neste post, vou te apresentar cada uma passo-a-passo, para que você possa escolher a que melhor satisfaz suas necessidades.

O que é?

A mandala menstrual é uma forma de mapeamento do seu ciclo menstrual em relação ao ciclo da lua (a relação entre o céu e a menstruação a gente vê nesse post). Por meio dela é possível identificar os padrões físicos, emocionais, mentais e energéticos que seus corpos apresentam ao longo do seu ciclo. A intenção é que, conhecendo melhor o ritmo da sua natureza cíclica (o de cada mulher é individual e único), você consiga se harmonizar com ele e ajustar sua vida e rotina às suas necessidades em cada momento.

Por que uma mandala? Não posso fazer em triângulo rs?

A mandala, por sua forma circular, análoga aos ciclos da natureza e do nosso corpo, fornece uma visualização mais simplificada e objetiva. Mas algumas mulheres preferem fazer diagramas ou diários.

Pra que tanto nome?

Não existe só um tipo de mandala. Este estudo é realizado por inúmeras mulheres há vários anos. Sendo assim, algumas criaram mandalas com certas especificidades, baseada nas vivências de cada uma. Isso é maravilhoso! Assim, fica mais fácil de você encontrar uma que te agrade ou, ainda, entendendo o mecanismo que fundamenta a mandala, possa criar a sua. Algumas utilizam apenas o diagrama, outras se apresentam em forma de agendas ou diários, com sugestão de outros exercícios que enriquecem seu autoconhecimento.

Posso fazer no celular?

Como veremos adiante, as mandalas são feitas para preenchimento à mão. Apesar de eu fazer uso de um aplicativo para mapear meu ciclo (tipo Flo, Glo, entre outros) percebo que a mandala é mais fácil de visualizar e manusear quando a temos em mãos. Além de fornecer uma liberdade maior para manipularmos e exercermos nossa potencialidade criativa colorindo, desenhando e testando novos formatos. 

Ter de tirar um tempo para escrever e depois analisar meu mês, meu bimestre e assim por diante, faz com que eu retire um tempo específico para isso, o que é muito enriquecedor e necessário se quisermos realmente entrar em contato com partes mais profundas de nós.

Por quanto tempo eu faço minha mandala?

É muito pessoal. Mas a ideia não é que seja feita todos os meses o resto da vida. Sugiro que você faça até o momento em que conseguir identificar seus padrões sem o auxílio dela. Chega um momento em que internalizamos nossos ritmos. Normalmente se recomendam 3 luas. Eu gostei dos resultados que as minhas trouxeram e fiz por aproximadamente 6 meses. Pode ser que depois você sinta vontade de retomar, ou que seu ciclo mude drasticamente e você queira entender. Ela sempre estará lá como mais uma ferramenta de autoconhecimento.

E se eu não menstruo?

Todos nós, terráqueos, somos influenciados pela lua. Independentemente do motivo pelo qual você não menstrua (gestação, amamentação, ausência de útero, desequilíbrio físico), a mandala é útil para entendermos a influência dessa Senhora Prateada em nossas vidas. Assim, homens e mulheres podem fazer bom proveito desse estudo.

E se eu tomo pílula? É a mesma coisa?

Quando você toma anticoncepcional você não vivencia seus ciclos. Os hormônios que a compõem inibem sua ovulação; dessa forma, também não há menstruação. O sangue que desce na pausa da cartela é um sangramento por privação hormonal. Além disso, ela altera o endométrio e o muco cervical. É uma forma de anestesiar seu corpo e mantê-lo “parado”, porque o que é vivo se movimenta, é cíclico. Você não está vivenciando seus ciclos. Nesse caso, você pode utilizar a mandala e obter algum conhecimento, mas esteja ciente de que não estará entrando em contato com seu ritmo essencial.

Antes de prosseguir, acho importante deixar claro que a pílula anticoncepcional só traz malefícios à saúde da mulher, em todos os níveis: mental, espiritual e, principalmente físico. Ainda que você tenha algum desequilíbrio em que os médicos apontem como necessária a pílula, eu afirmo que esta é uma solução preguiçosa por parte dos profissionais da saúde tradicional. Procure uma ginecologista natural ou feminista para te orientar a respeito de outros tratamentos (posso indicar por mensagem). Não há nenhum motivo que faça valer a pena tomar a pílula. É um risco real à sua vida.

As mandalas

Depois de entender um pouco mais, deixo abaixo um compilado das principais mandalas que conheci, de mulheres em que confio, para que você explore, teste e utilize! Os links te direcionam direto para as páginas respectivas em que você pode baixar ou adquirir a mandala que te interessar. As duas primeiras são gratuitas (;

Mandala da Lua da Danzamedicina

Mandala da Lua DanzaMedicina

Diagrama Lunar “A Lua em Mim”, da Tai Barroso

lua em mim

Tive a sorte de fazer o workshop com a Tai e essa mandala foi feita pra mim. É ela que eu uso e que ensino a fazer nos Círculos Pachamanas (com algumas adaptações minhas)

Mandala Lunar da Ieve Holthausen, Naíla Andrade e Vic Campello

mandala lunar

Caderneta da Lua da Estefania Michaelsen

Caderneta da Lua

(também dá pra comprar direto com ela)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s