Plante sua Lua

Já faz tempo que eu comento sobre vários insights que eu tive enquanto plantava a minha lua. Então nesse post vamos nos aprofundar mais nesse ritual: de onde ele vem, como realiza-lo e o que ele significa.

Eu o conheci por meio do “Movimento Plante sua Lua”, concebido pela terapeuta Anna Sazanoff, minha querida mestra, que me capacitou em ginecologia natural e florais da lua. Por meio dela, o resgate dessa prática vem se popularizando entre as mulheres que buscam autoconhecimento e reconexão com seu potencial criativo.

Primeiramente, precisamos reconhecer a inteligência divina que há na relação entre o ciclo menstrual e o ciclo da lua. Ambos possuem, em média, 28 dias e manifestam-se em uma dinâmica de 4 fases. Por essa razão, muitas mulheres (eu, por exemplo rs) referem-se ao seu ciclo como uma “lunação” e à menstruação como lua.

Já ouviu alguma amiga dizer que está lunando ou que a lua dela desceu? É por isso!

“Plantar a lua”, portanto, é um ritual em que devolvemos nosso sangue menstrual para a terra. Ele foi praticado por nossas ancestrais desde os períodos matrilineares, mas com o processo de domesticação da sociedade, foi perdido.

Ao devolver seu sangue para a terra, você permite que ela transmute as energias do próximo ciclo e intenciona o que você quer para o próximo. É uma forma de circular  essas energias dentro do ciclo da natureza.

Se a questão espiritual ainda não te chama, de qualquer forma vale lembrar que o sangue menstrual funciona como um fertilizante para a terra. Portanto, devolvê-lo à terra é mais ecológico do que apenas descartá-lo ralo abaixo ou em absorventes de plástico que levam centenas de anos para se decompôr.

É uma oportunidade de honrar sua capacidade de fertilidade, sua saúde e a dádiva de ser cíclica. Então, porque não testar?

 

O QUE VOCÊ PRECISA

  • Coletor (o copinho) ou bioabsorvente (absorvente de pano ou calcinha menstrual)
  • Recipiente (preferencialmente de vidro)

O ideal é que você escolha um recipiente apenas para isso, que deve estar bem limpo. Se for de vidro, esterilize com água fervente. Você também pode personaliza-lo da forma que te inspira. Guarde-o sempre em um lugar especial.

  • Vaso de planta ou jardim

Pode ser em algumas plantinhas especiais no seu apartamento, numa árvore, num jardim público… O importante é que seja um local de que você goste e se sinta bem.

COMO COLETAR SEU SANGUE

Com o copinho: esse é fácil. É só tirá-lo depois do período que é melhor para você e guardar o sangue no recipiente. Depois, é só diluir com água.

Com o paninho/calcinha: deixe-os de molho apenas em água. Depois de algumas horas (vai depender da quantidade de sangue, do tecido, etc) tire-os da água e a reserve no seu recipiente. Lave o paninho ou a calcinha como de costume.

Depois dos passos acima você já pode plantar sua lua ou, se no momento não puder realizar o ritual, guardar na geladeira por no máximo 2 dias.

COMO REALIZAR O RITUAL

Os elementos essenciais são: deixar ir o que seu ventre liberou no último ciclo, intencionar a energia para o próximo e agradecer à Mãe Terra. Elaborei um breve roteiro do que eu faço, mas o ideal é que, com o tempo, você desenvolva seu próprio rito.

Com sua lua entre as mãos, respire profundamente, feche os olhos e concentre-se em tudo que se passou no último ciclo. Sonhos, dores, doenças, alegrias, criações. Perceba o que não deve seguir para o próximo ciclo. Peça que a terra transmute tudo o que seu ventre liberou.

Entregue seu sangue para a terra. Você pode cantar, entoar uma oração ou dançar enquanto faz isso, intencionando o que você quer plantar para o próximo ciclo.

Agradeça a disponibilidade e doação da mãe terra.

FREQUÊNCIA

Você não precisa plantar a lua todos os dias da menstruação. Pode deixar acumular todo o sangue e ofertar ao final. Ou ofertar no primeiro dia e apenas fertilizar as plantas nos demais. O que você sentir que é o melhor!

E SE EU NÃO MENSTRUO?

Se, por qualquer razão você não menstrua, temporária ou permanentemente, pode realizar o ritual normalmente. Ao invés do sangue você pode oferecer vinho tinto, suco de uva, chá de hibisco… Ou, ainda, leite materno se estiver amamentando. Alguma irmã também pode te oferecer o sangue dela para que você plante, o que torna essa conexão ainda mais especial ❤

 

Outra forma de plantar a lua é sangrar diretamente na terra, agachada ou descalça, com saia ou vestido longo. Muito forte!

Atualmente, é comemorado em agosto o “Dia Mundial do Plante sua Lua”, liderado por Morena Cardoso do DanzaMedicina. Nele, milhares de mulheres em todo o mundo reúnem-se em locais públicos para plantar sua lua e trocarem saberes. Maravilhoso, né?

E aí, o que vocês acharam desse ritual? Costumam praticar? O que mudou na vida de vocês desde então?

De coração e útero,

Niki

2 comentários sobre “Plante sua Lua

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s