Tratamentos naturais para candidíase

A candidíase é uma infecção causada pelo desequilíbrio do fungo Candida albicans que existe naturalmente na vagina (também no intestino e na boca).

Quando o pH vaginal é alterado, ele se multiplica além do normal e causa o incômodo que chamamos de candidíase, que se caracteriza normalmente por dor, vermelhidão, ardor e coceira na vulva e um corrimento branco com aspecto de leite talhado e odor forte.

Internamente a vagina também fica vermelha e inflamada. Como sintoma colateral, pode haver dor para urinar e durante a relação sexual.

Esse fungo se reproduz melhor com a ajuda do hormônio estrogênio, que regula diversas funções reprodutivas da mulher. Ele é produzido em maior quantidade durante a gravidez, por isso a candidíase é comum em gestantes.

É possível seu surgimento no início da vida sexual da mulher, quando a vagina passa a ter contato com secreções diferentes pela primeira vez. Também há uma forte relação com a saúde do intestino. É bem provável que desequilíbrios intestinais se desdobrem em uma candidíase.

Tanto o intestino quanto o sistema ginecológico são espelhos cristalinos da saúde integral da mulher. Por isso, devem ser investigados os gatilhos no estilo de vida, na alimentação, nos padrões mentais e energéticos, na sua relação pessoal com sua espiritualidade e na rotina de atividade física.

Situações que podem reforçar esse desequilíbrio são:

  • energia sexual acumulada
  • sono desequilibrado e escasso
  • excesso de exercício físico durante a TPM ou a menstruação
  • alimentação pesada e focada em alimentos quentes
  • choques de temperatura
  • baixa imunidade
  • excesso de higiene íntima
  • uso de antibióticos

As emoções relacionadas à candidíase podem ser, entre outras: raiva, inveja, expressão desequilibrada das emoções, estresse, medo, impaciência e ansiedade.

O tratamento alopático é extremamente agressivo com nossa flora natural, destruindo tanto os seres bons para nós quanto os que estão em excesso. Por isso é comum mulheres entrarem num looping de infecções após usarem os remédios receitados por ginecologistas tradicionais.

Por isso, minha recomendação sempre é pelos tratamentos naturais, que além de atuarem em sintonia com nosso corpo, tratam também da vibração do centro energético em questão.

Os tratamentos naturais devem ser feitos em média por 7 dias, mesmo que os sintomas desapareçam antes. Escolha um deles, termine e descanse por uma semana. Se o fungo permanecer, comece novamente, podendo optar por outro método:

  • supositório de babosa: utilizar um por dia. Inserir antes de dormir
  • banhos de assento: com camomila, calêndula, barbatimão ou bicarbonato de sódio
  • iogurte: aplicar 1ml de iogurte natural (sem açúcar e sem corantes) na vagina antes de dormir. Faça isso quando já estiver deitada, para não escorrer. Use uma seringa sem agulha. Pode usar kefir ou outros lactobacilos que cultive ou iogurte natural encontrado em mercados mesmo
  • lavagem vaginal: diluir 10 gotas de óleo essencial de melaleuca em 500ml de água ou de chá de camomila. Inserir no canal vaginal com ajuda de uma seringa sem agulha. Inserir 5x com uma seringa de 20ml. Faça 1 vez por dia. Nos 3 primeiros dias, pode diluir também com uma colher de café de bicarbonato de sódio
  • chás: tomar bastante chá de maçã, dente de leão ou tanxagem (pode fazer em conjunto com outro tratamento)
  • para aliviar a coceira: passe óleo de coco na vulva várias vezes ao dia

Não recomendo nenhum tratamento durante a menstruação, porque ela altera o pH vaginal e o fluxo pode forçar a saída dos remédios.

Também não deve ser feita a vaporização do útero e sim banhos de assento.

Alguns hábitos podem ser incorporados à sua rotina e auxiliar no tratamento:

  • usar calcinhas de algodão
  • ficar sem calcinha sempre que possível
  • evitar roupas justas e apertadas
  • não ficar muito tempo com roupa de banho molhada
  • evitar excesso de açúcar, gordura, carboidrato e proteína animal na alimentação
  • lavar a região apenas com água
  • lavar as calcinhas apenas com sabão de coco
  • consumir mais probióticos para fortalecer a imunidade
  • consumir mais alho e cebola na alimentação

Lembre-se que fortalecer o seu corpo e viver de forma saudável é mais fácil e prazeroso do que tratar doenças.

Apesar de ser uma infecção comum, sempre que surgirem os sintomas procure o diagnóstico de uma ginecologista, pois os sintomas podem se confundir com outras doenças.

Boa cura e bons processos! De coração e útero,

Niki

4 comentários sobre “Tratamentos naturais para candidíase

  1. Marina disse:

    Gratidão pelos ensinamentos compartilhados, mana. Uma dúvida: quantos dessa mistura de melaleuca com chá de camomila eu coloconpor dia? Acredito q não sejam os 500ml, certo? RS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s